Qual o limite da cobrança profissional?

Apesar de ser um tema cada dia mais abordado, não é raro encontrar alguém que desconheça ou não entenda totalmente o que é o assédio moral nas empresas e quais as suas implicações.

Dessa forma, vamos apresentar diferentes perspectivas sobre o assunto, para que você possa identificar e solucionar essa conduta em todos os seus âmbitos, já que um negócio saudável não só previne todos os inconvenientes decorrentes do problema, mas também evita todos os desgastes físicos e mentais gerados.

O que é o assédio moral na relação de trabalho?

Atualmente, o assédio moral na relação de trabalho pode ser definido como um abuso, físico ou mental, contra qualquer um dentro de um ambiente profissional. Ele visa a exposição de pessoas a situações degradantes, de forma contínua e sistemática.

Além disso, sua característica principal é prejudicar a integridade daquele que é vítima da opressão, gerando até mesmo riscos à saúde e degradando todo o espaço de trabalho.

Sendo assim, o assédio moral não é só aquele praticado pelo presidente ou gerente de um negócio, mas sim, por qualquer um que insista na humilhação e constrangimento contra um colega de trabalho.

A exposição constante a situações como essa, podem comprometer não só a função exercida, mas a integridade e a dignidade do funcionário, que por vezes não tem para quem recorrer, já que o assediador é comumente alguém hierarquicamente superior.

No entanto, é importante ressaltar que é obrigatório que essa conduta seja recorrente e não em um evento específico. Além disso, as ações do agressor também deverão extrapolar às esperadas em uma relação profissional.

Como em todas as relações, as cobranças sempre se fazem necessárias, contudo, o abuso constante e direcionado deverá ser tratado como um problema que prejudica todos aqueles que estão envolvidos, direta ou indiretamente.